Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

...RAIOS DE SOL

assuntos do quotidiano, amor, família, amigos e várias experiências de vida. Fica por aqui ;)

...RAIOS DE SOL

assuntos do quotidiano, amor, família, amigos e várias experiências de vida. Fica por aqui ;)

09
Ago18

Trabalhar não é fácil

CÉLIA

Trabalho, uma coisa  muito complicada.

Há pessoas que trabalham toda a vida fora de casa e tem até mais de 2 trabalhos. Eu sempre andei numa luta constante para conseguir trabalhar. Comecei a trabalhar tarde, tinha 23 anos quando fui para um call center.

Até aos meus 30 anos trabalhei em várias coisas. Apesar de trabalhos não muito agradáveis eu tinha muita força e energia para ultrapassar barreiras. À medida que fui ficando mais velha, os trabalhos eram cada vez mais difíceis.

Aos 30 anos decidi parar por causa de ter ficado de rastos num trabalho de uma loja de decoração. Aluguei a minha casa de solteira, casei, pensei em procurar trabalho passado um ano e nada. Fartei-me de enviar curriculos e percorrer as ruas de Lisboa e nada.

Desesperada vi um anuncio para figurantes na tv, aproveitei e andei um ano e meio a fazer figuração. Não ganhava quase nada mas estava ocupada. Entretanto, comecei a vender produtos de beleza da Yves Rocher ao mesmo tempo. No meio disto tudo, as coisas foram andando até que me apareceu um trabalho numa escola como assistente operacional. Só aguentei 3 meses, o ambiente era terrível entre as funcionárias.

Depois disto nunca mais trabalhei fora de casa e mantive a casa de solteira, alugada até 2015. 

Claro que eu bem tentei voltar a trabalhar, tirei um curso e percorri Lisboa a entregar curriculos. Tinha 35 anos quando deixei o mercado de trabalho, estávamos na crise de 2011. Entretanto nada mais aconteceu de novo. 

Até agora faço o meu trabalho doméstico da minha casa, pinto e escrevo mas não ganho dinheiro. 

A minha vida parou aos 35 anos, o mercado trabalho virou-me as costas numa altura de crise financeira.

Em 2016 estive muito doente, pois sou doente crónica. Percorri um caminho muito difícil até ao Inicio deste ano, só à poucos meses os médicos acertaram na minha medicação que é cara e sem nenhum apoio do estado.

Quero voltar a fazer alguma coisa que eu goste pois os meus últimos trabalhos foram um massacre mas não perdi a esperança. 

Estou de volta à luta e espero respostas. A vida é assim mesmo, uma verdadeira luta de suor, sangue e lágrimas.

 

 

 

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D